fbpx
Cultura e Mercado

“Existe um coronelismo no cinema claramente explicitado”

“O Ministério das Comunicações é praticamente um escritório de representação de interesses da radiodifusão privada”. Com essa frase Gabriel Priolli defende a parceria, ou até a fusão, entre os Ministérios da Cultura e das Comunicações. Comenta o fracasso da Ancinav e lança uma lúcida análise política sobre o que considera ser “o maior problema do Brasil”: a democratização dos meios de produção e difusão cultural. E responsabiliza o próprio setor


Cultura: contrapartida ou ponto de partida?

Leonardo Brant faz uma breve retrospectiva da "parceria" público-privada em torno da cultura e anuncia a necessidade de "uma nova política governamental pela responsabilidade cultural corporativa, com um fundamento: preservação de direitos e liberdades culturais e econômicas associada ao desenvolvimento de frentes de acesso a participação da cultura"