Cultura e Mercado
  • Como foi o II Panorama Cultura e Mercado?

    Na semana passada aconteceu na sede do Cultura e Mercado, no centro de São Paulo, o II Panorama Cultura e Mercado, que reuniu profissionais do campo da cultura para discussões sobre as perspectivas e o andamento do mercado cultural no Brasil.

    D1Com o objetivo de dar subsídios para compreender o mercado, refletir sobre as políticas culturais e criar um ambiente favorável para a troca e o compartilhamento de experiências, o panorama  manteve em sua segunda edição um formato informal, trazendo debates de qualidade, num espaço acolhedor.

    A curadoria foi feita pelas sócias do Cultura e Mercado, Alice Coutinho e Daniele Torres e contou com co-curadoria de Luane Araujo. Os temas discutidos foram pautados por assuntos que norteiam as conversas entre profissionais de todas as áreas da cultura.

    No primeiro dia, o tema foi MULHER: poder na ação cultural. A mediadora Nara Almeida abordou com as convidadas 
Malu Andrade do Mulheres no Audiovisual Brasil e Carol Marinho Martin da Companhia 25do7, questões de paridade de gênero na área cultural, estratégias de ação cotidiana e dificuldades partilhadas. A reflexão foi gatilho para discussões e trocas: as mulheres são ainda invisibilizadas em cargos de liderança e decisão, inclusive em áreas reconhecidamente ocupadas por um grande número delas, como a cultural.

    FullSizeRender-2No segundo dia, o painel  foi sobre LEI ROUANET: novos fatos, novas perspectivas; Daniele Torres mediou um intenso debate entre os convidados Anna Paula Montini do Itaú Cultural, Cris Olivieri, da Olivieri & Associados e Rodrigo Linhares da JLeiva. Com uma audiência extremamente atenta a conversa foi sobretudo voltada à nova Instrução Normativa publicada pelo Minc. Fez-se um balanço da Lei Rouanet como política pública e uma reflexão sobre o impacto da nova IN. Assista abaixo a entrevista com os convidados do segundo dia.

     

    DIVSDIVERSIDADE: narrativas em destaque
 foi o tema do terceiro painel mediado por Luane Araujo. Natália Mallo diretora e produtora do espetáculo O Evangelho Segundo Jesus Rainha do Céu (monólogo interpretado pela atriz travesti Renata Carvalho), falou sobre o processo de montagem do espetáculo e as polêmicas que têm permeado a peça.
    Gustavo Ribeiro Sanchez da Ação e Contexto /Coletivo HLGBT falou sobre o nascimento do coletivo e sobre a experiência de coletas de histórias para o livro História de Todas as Cores. O diálogo também discorreu sobre a necessidade da criação de políticas públicas voltadas para este tema, sobre os pouquíssimos editais disponíveis atualmente e sobre como a cultura pode ser um instrumento de quebra de paradigmas e uma possibilidade de abertura de percepções para os assuntos da Diversidade.

    D4Encerrando a semana, o tema 
FINANCIAMENTO: novas possibilidades em foco. O painel, mediado por Alice Coutinho, recebeu as convidadas Jonaya de Castro do Lab.E, Fernanda Castelo Branco e Julia Ianina da Companhia Delas de Teatro que contaram seus cases sobre Matchfunding e Crowdfunding. Jonaya falou sobre o processo de
    criação da publicação Matchfunding – Captação criativa e a Cia Delas falou sobre a experiência de captação via Crowdfunding aliado a editais e captação de leis de incentivo. A conversa contou com a contribuição da Natalie Assad do Partio, site de crowdfunding cultural, que estava presente entre o público e aproveitou para explicar como funciona a plataforma, e falar do outro lado da mesa, como se dá uma campanha.

    Durante a semana os debates, atuais e pertinentes, se interligaram de uma forma coesa e complementar.

    Para Rodrigo Linhares, da JLeiva, “O fato de o Panorama acontecer nesta época do ano é bacana porque acaba pautando e antecipando um pouco o que vai se falar ao longo do ano”. 

    Segundo Anna Paula Montini do Itaú Cultural,“São questões importantes, e eu saio daqui e  vou pensar por muitos dias depois deste debate. Oportunidades como esta tem que ser multiplicadas”.

    Para Carol Marinho Martin da Companhia 25do7, “Encontros como estes, criam um ambiente de troca entre pensadores da cultura vista como força-motriz da economia. As mesas proporcionam um debate qualificado sobre questões atuais (como o papel e a presença da mulher na cultura de que participei) e tem o potencial de novos olhares sobre a gestão cultural. Participarei sempre que puder!”.

     

     

    Tags:, , , , , ,