Cultura e Mercado
  • Workshop e residência no Festival Fronteira

    O II Fronteira – Festival Internacional do Filme Documentário e Experimental, que acontece em Goiânia de 20 a 29 de agosto, além de apresentar mostras competitivas internacionais, mostras retrospectivas e mostras especiais diversas, realiza também ações de formação e reflexão audiovisual, com a Estado Crítico – Residência de Crítica de Cinema e o Workshop de Montagem Cinematográfica.

    A primeira atividade consiste em uma imersão de cinco dias na programação do festival, voltada à críticos, pesquisadores e outros interessados na prática de reflexão e escrita sobre obras cinematográficas, realizando encontros no período da manhã, coordenados por dois críticos de cinema convidados, Aaron Cutler (EUA) e Juliano Gomes (BRA). De 24 a 28 de agosto, os coordenadores da Residência apresentarão propostas de discussão sobre temas de cinema, arte e cultura visual, sobretudo de crítica da imagem.

    Buscando direcionar a ação à pessoas que de alguma forma já praticam a escrita e a reflexão sobre cinema, o Fronteira solicita, no ato de inscrição, uma carta de apresentação de no máximo quatro mil caracteres, que possa conter um resumo da experiência do candidato e possa também indicar suas expectativas em relação à sua participação na Estado Crítico. São apenas seis vagas disponíveis. Os interessados devem encaminhar também, no mínimo, três textos sobre cinema publicados, em qualquer veículo, meio ou contexto. No caso de o pesquisador, crítico ou estudante não tiver textos publicados, podem ser enviados textos inéditos, desde que de autoria do candidato.

    As pautas de discussão dentro da Residência se construirão a partir dos filmes exibidos durante o II Fronteira, em encontros presenciais entre os participantes e os coordenadores convidados. Trinta dias após o festival, os participantes publicam um e-book com a produção crítica criada dentro da residência.

    A segunda atividade é uma oportunidade de conhecer o pensamento e o método de criação da montadora Cristina Amaral, responsável pelo trabalho de edição do clássico “Serras de Desordem” (2007), de Andrea Tonacci, entre outros. Entre os dias 25 e 28 de agosto, serão discutidos temas como o desenvolvimento do cinema com uma linguagem narrativa própria, a partir da montagem, a teorização, os processos de ruptura e experimentação, a abertura para a liberdade de criação e o compromisso do cinema com a expressão humana. A relação do cinema com a técnica e a tecnologia, assim como o trabalho de montagem também terão destaque no workshop.

    Também serão apresentadas no curso reflexões sobre o papel da montagem no cinema nos dias de hoje, o trabalho do montador, suas responsabilidades e sua relação com o filme, com o diretor, com a produção do filme, e sobretudo, com a imagem que chega às telas. Serão disponibilizadas 25 vagas e os interessados devem apresentar currículo resumido.

    As inscrições para a Residência e o Workshop podem ser feitas gratuitamente no site do festival, www.fronteirafestival.com, até 1o de agosto. A lista final de participantes será divulgada em 6 de agosto. As atividades acontecerão no Sesc Centro, na Rua 15, esquina com a Rua 19, no centro de Goiânia.

    *Com informações do site da Revista de Cinema

    Tags:, , , , ,