Cultura e Mercado
  • Ancine divulga Informe sobre programação da TV Aberta

    A Ancine divulgou na última semana o Informe de Acompanhamento do Mercado de TV Aberta, realizado pela Superintendência de Análise de Mercado (SAM), que apresenta o resultado do monitoramento da programação das redes de televisão: Band, CNT, Globo, Record, RedeTV!, SBT, TV Brasil, TV Cultura e TV Gazeta no ano de 2015.

    Foto: Rodrigo BasaureDe acordo com o levantamento, assim como no ano anterior, a maioria das obras veiculadas na TV aberta em 2015 foram de origem brasileira. Elas representaram 83,3% do total da programação nos canais monitorados. Das emissoras analisadas, a TV Gazeta foi a única que não programou obras estrangeiras.

    Entre os tipos de programas exibidos na TV brasileira, a categoria Entretenimento lidera a programação, com 49,3% do tempo total dos canais. Já a categoria Educação é a que menos ocupa tempo na grade de programação das emissoras, sendo mais bem representada na TV Brasil, com 10,8%, e na TV Cultura, com 9,6%. Por outro lado, mantém-se um aumento progressivo na destinação de tempo à categoria Informação (20,6%) — que figurou com 15,1% em 2012, 16% em 2013 e 19,3% em 2014.

    A partir da análise da programação das nove emissoras, identificou-se a prevalência dos programas religiosos, com 21,1%, no total de horas de programação. Em segundo lugar, vêm os telejornais, com 14,6% de ocupação. E, em terceiro lugar, as séries, gênero da categoria Entretenimento, ocupando 11,6% da programação.

    Séries – Apresentando crescimento em relação a 2014 e confirmando tendência de anos anteriores, o formato séries e minisséries, de origem brasileira e estrangeira, ocupou 12% do total de horas de programação na TV aberta em 2015.  Em relação à produção seriada brasileira, foram veiculados 85 títulos.

    A TV Brasil, com 53%, e a TV Cultura, com 31%, permanecem as emissoras que mais programaram séries e minisséries nacionais. A Globo ocupa a terceira posição, representando 10% do tempo total de programação dedicado ao formato seriado de origem brasileira. Record, Band, SBT e TV Gazeta completam juntas os 6% restantes do total de tempo destinado a esse tipo de programação. As emissoras CNT e Rede TV! não programaram séries e minisséries brasileiras em suas grades no período analisado.
    Dentro da categoria, cresceu a ocupação na grade do gênero Animação (24,9%), decresceu o percentual de Documentário (23%) e cresceu ligeiramente o gênero Ficção (52,1%).

    As séries brasileiras mais veiculadas durante o ano de 2015 foram as infantis: “Dango Balango”, “Castelo Rá Tim Bum” e “Que monstro te mordeu?”.

    Cinema – O cinema nacional também esteve presente nas telas da TV aberta em 2015 com a ocorrência de 384 veiculações, de um total de 262 longas-metragens brasileiros. O documentário “Vou rifar meu coração” foi o filme mais exibido, com oito veiculações.

    A TV Brasil é a emissora com maior número de longas-metragens nacionais programados no período, com 120 títulos, seguida da Globo, com 87 filmes, e da TV Cultura com 55. Esses números constituem a quase totalidade da programação de filmes de longa-metragem brasileiros programados no segmento no período analisado, sendo irrisório o número de obras brasileiras de longa-metragem veiculadas na Band e na Record, redes que não programaram mais do que 1 e 3 obras, respectivamente, em uma única veiculação. Não houve veiculação de longas-metragens brasileiros na grade do SBT, emissora que, no entanto, programou 177 veiculações de filmes estrangeiros. Já CNT, TV Gazeta e Rede TV! não exibiram filmes de qualquer nacionalidade.

    O Informe de Acompanhamento do Mercado de TV Aberta completo está no site do Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA). Clique aqui para acessar.

    Tags:, , , , , , , ,