Cultura e Mercado
  • Desceu à mansão dos mortos e lá ficou

    Acontecimentos de ordem profana animaram a semana santa. Um deles, sem qualquer destaque nos jornais e noticiários – ocupados que estão com listas apocalípticas –, chegou-me ao conhecimento por intermédio de um antigo companheiro


    Juridic Park

    Minha normalidade na infância era tão pronunciada que, como qualquer garoto dos anos noventa, tinha verdadeiro fascínio por dinossauros, sem deixar, claro, de considerar injusto não ter nascido na época deles. Decorrência dessa mania


    Que flagra! Que flagra! Que flagra!

    De tudo o que aconteceu na última Berlinale acerca do manifesto de cineastas brasileiros, a mais forte impressão que me ficou não diz respeito ao discurso contra o governo interino em exercício, nem menos


    Era uma vez um faminto

    Confesso que não chego nem perto de compreender por que, desde sexta, os jornais noticiam unanimamente que Raduan Nassar, durante o recebimento do Prêmio Camões, teria proferido discurso duro contra o governo. Considerando a fome que